Login

Newsletter
captcha 

A neoplasia sólida pseudopapilar do pâncreas não possui ainda uma estratégia bem definida em termos de vigilância e terapêutica dada a raridade da patologia. O risco de aproximadamente 15% de malignização obriga a uma discussão multidisciplinar centrada no doente.