Login

Newsletter
captcha 
“É preciso ter uma visão mais científica do erro”
quinta, 26 novembro 2020 15:58

“É preciso ter uma visão mais científica do erro”

No âmbito da sessão “Ten Tips para reduzir o erro”, que decorreu na Semana Digestiva 2020, o Dr. Ricardo Freire, gastroenterologista no Hospital CUF Torres Vedras, abordou, em entrevista à News Farma, a questão do erro médico, do estigma que está associado à temática, bem como do facto de, hoje em dia, se “continuar a ignorar o erro”.

“O erro existe e tem de ser entendido como algo que vai muito além do indivíduo, uma vez que está relacionado com o sistema. Somos humanos e erramos, no entanto, os sistemas devem ser responsáveis por saber onde é que se falhou e quais as consequências do erro, para que se consigam desenhar mecanismos de contra verificação, que permitam que o erro seja minimizado. No entanto, é impossível melhorar se continuarmos a ver o erro como uma questão de culpa individual, e não como um todo”, esclareceu o especialista.

Outro aspeto que salientou foi o facto de sentir que, atualmente, é essencial distinguir o conceito de “efeito adverso” do de “erro”. Para o especialista, são duas situações distintas, mas que, por vezes, são tidas como sinónimos, o que gera confusão ao nível da sociedade. “Erro e efeito adverso não são sinónimos, embora alguns efeitos adversos possam resultar do erro. No entanto, a maior parte das reações adversas são inerentes à própria técnica e surgem mesmo quando há um cumprimento de todas as medidas. Agora, se alguns meios judiciais continuarem a entender que uma reação adversa é resultante do erro, ou a culpabilizar o executante por alguma reação adversa que é decorrente da própria técnica, pode-se estar a incorrer numa situação que, daqui a poucos anos, ninguém vai querer fazer alguns procedimentos”, argumentou.

No seu entender, é “preciso encarar o erro numa perspetiva de qualidade e de segurança dos serviços que são prestados, enquanto sistema, e não como resultado de uma atitude negligente e individual”.

“Estamos a assistir a uma mudança de paradigma, no sentido em que passamos de um erro que é culpa do individuo, para uma melhoria da qualidade e da segurança dos cuidados que prestamos de uma forma aberta, honesta e pondo a tónica nessa questão da qualidade e da segurança, e para tal é preciso retirar o estigma da culpa, retirar o estigma do erro e ter uma boa capacidade de comunicação com os doentes, bem como uma boa capacidade de auditoria interna daquilo que fazemos, e de como é que podemos melhorar”, concluiu.

Veja Também

  • Hepatites víricas: o estado da arte do diagnóstico e da terapêutica
    2020-11-23 16:15:50
    Hepatites víricas: o estado da arte do diagnóstico e da terapêutica

    No âmbito da Semana Digestiva Digital 2020, teve lugar a sessão virtual sobre “Hepatites Víricas”, com o apoio da Gilead. Moderada pelas Dr.ªs Maria Antónia Duarte e Cristina Fonseca, esta sessão recebeu como palestrantes convidados a Dr.ª Joana Nunes, a Dr.ª Ana Paula Silva e o Dr. Mário Jorge Silva.

  • O que 2030 vai trazer à síndrome do intestino irritável, à doença diverticular e à microbiota
    2020-11-20 17:36:03
    O que 2030 vai trazer à síndrome do intestino irritável, à doença diverticular e à microbiota

    “Resumir uma década que ainda vai acontecer não é fácil”. No entanto, este foi o desafio que a organização da Semana Digestiva lançou à Dr.ª Teresa Freitas, gastrenterologista do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, quando a convidou a ser palestrante na sessão “Uma nova visão para 2030: doença diverticular, síndrome do intestino irritável e microbiota”. Veja a entrevista para saber quais as previsões para estas matérias.

  • A importância do “antes” na colonoscopia
    2020-11-20 16:46:08
    A importância do “antes” na colonoscopia

    “Uma das condições para que seja realizada uma colonoscopia de qualidade é a obtenção de uma preparação intestinal adequada, para que se consigam identificar as lesões, os pólipos, e também para que o exame seja o mais completo possível”. Quem o esclarece é o Dr. Bruno Rosa, gastrenterologista do Hospital da Senhora da Oliveira – Guimarães, em entrevista à News Farma no âmbito da sessão “Para uma excelente colonoscopia: o antes, o durante e o depois”, que se insere no programa da Semana Digestiva 2020. Assista ao vídeo completo.